Proibido o consumo para menores de 18 anos

Se Beber não dirija

Coleção cápsula “Um Baile a Beira Mar” por: Derek Mangabeira 2017-09-19T13:28:07+00:00
Regressiva de lançamento, faltam:
0
0
0
0
Dias
0
0
Hrs
0
0
Min
0
0
Seg

Inspiração

O poeta uruguaio Isidore Ducasse, mais conhecido pelo pseudônimo Conde de Lautréamont, escreveu, no final do século XIX, a seguinte frase: “belo como o encontro fortuito de uma máquina de costura e um guarda-chuva sobre uma mesa de dissecação”. Embora absurda, e talvez exatamente por isso, essa ideia de uma beleza convulsionada pelo encontro de imagens absolutamente distantes umas das outras é, para muitos, uma síntese do movimento surrealista, ao qual Ducasse veio a servir como grande inspiração anos mais tarde. A justaposição de universos desencontrados e sem ligação foi uma das principais forças motrizes dessa vanguarda.
A pesquisa de Derek Mangabeira em torno da imagem, em sua forma mais genérica e abrangente, começou ainda na faculdade, estudando os fotógrafos surrealistas e a sua busca por uma beleza convulsionada. E até hoje esse trabalho o atravessa. Não foi por acaso, então, que a seminal frase de Isidore Ducasse apareceu como primeira referência quando o designer começou a pensar em uma coleção para a Praya. “Belo como” se tornou o mote para pensar o projeto. A ideia era unir um universo reconhecível para todos aqueles que bebem e apreciam essa cerveja com um mundo distante e surpreendente, que deslocasse as peças para uma zona de estranhamento. O resultado seria uma coleção estranhamente reconhecível – ou reconhecidamente estranha.
A referência ao surfe não demorou a vir. O esporte faz parte da essência da Praya e do Rio de Janeiro, sendo uma associação direta quando pensamos na imagem mais difundida do carioca. Mas Derek queria ir mais fundo que isso. Queria que esse mundo suado, salgado e solar se juntasse com um universo mais formal e noturno, que ficasse longe da ideia já reconhecidamente “prayana”. Assim, a alusão a bailes de formatura, com todo o brilho e glamour exagerados que lhes são peculiares, veio como uma opção acertada, que resumia a outra face da Praya que o estilista buscava.
A partir daí, a coleção se desenvolveu como uma pesquisa em torno desses dois polos, tentando equilibrar misturas de materiais e silhuetas que fizessem referência a ambos os universos, mas que não fossem nem um e nem outro – e nem mesmo os dois ao mesmo tempo. A coleção Prom Wave deveria ser algo que fosse novo e belo, como o fortuito encontro de um filme adolescente da década de 90 com um campeonato de surf em meio a águas cariocas.

Derek Mangabeira

Formado em Comunicação Social com habitação em Rádio e TV pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, desde o início dos meus estudos me interessei por diferentes formas de manifestações da imagem. Do cinema, às artes plásticas, passando pela fotografia e o teatro, tive contato com as mais diferentes maneiras de se produzir imagens. Foram anos mais tarde, porém, que fui encontrar em meio a todas essas formas aquilo com o que eu me identifico: a moda. Hoje eu vejo essa prática não só como uma forma de expressão individual, empoderamente de grupos minoritários e um espaço de experimentação formal e conceitual, mas também como também um campo de estudos conexo, que exige uma visão holística do seu fazer. Graças a uma formação multidiciplinar, acredito estar trilhando o caminho para um dia compreender os pormenores desse prática.

Ficha Técnica

Modelos: Aline Pommer e Uyl Neto
Fotógrafia: Fernando Schlaepfer
Styling: Derek Mangabeira
Make: Artur Figueiredo
Produção: Rodrigo Beser

Na Mídia

Praya no Instagram: