O mês de março no MAM

2018-07-16T08:42:20+00:001 março , 2018|

No mês de março, o MAM Rio tem uma programação cheia de encantos para o público:

ARRUDA, Victor
17 mar – 17 jun 2018 | curadoria Adolfo Montejo Navas | mantenedores do MAM Rio | apoio Cerveja Praya | realização Ministério da Cultura, Governo Federal

Coincidindo com o 70º aniversário do Museu e do próprio artista, celebram-se as cinco décadas de trajetória artística de Victor Arruda com uma retrospectiva ampla que é ao mesmo tempo prospectiva, pois oferece numerosos trabalhos recentes, inéditos, assim como projetos especiais, além de sua pintura pioneira, pungente e crítica, que foge de classificações domesticadas. Uma poética que cria a própria margem de visualidade e atuação.

17 mar – 17 jun 2018 | curadoria Eucanãa Ferraz | mantenedores do MAM Rio | apoio Cerveja Praya | realização Ministério da Cultura, Governo Federal
A proposição tecnológica sobre a imagem no século XXI esgarçou a fronteira da reprodutibilidade. Como participante desse ápice, Vicente de Mello refl
ete, na série Monolux, sobre a primeira natureza da fotografia: os fotogramas. São imagens singulares, simples impressões construídas pela velatura da luz direta que ocorre pelo contato de objetos sobre a superfície do papel fotográfico. Os objetos mais sólidos não deixam refletir seus contornos, e os mais claros e transpar

entes revelam leveza e imprevisibilidade. Monolux são fotografias sem câmera e sem negativo, uma antítese do impalpável e imensurável universo de pixels. Conforme atenta o artista: “Agradava-me a ideia de pensar que tanto a luz quanto os objetos exerciam uma ação tátil de clara composição ambígua sobre o papel, resultando em umfato fotográfico de força enigmática”.


Jose Bechara | FLUXO BRUTO
26 jul 2017 – 06 mai 2018 | curadoria Beate Reifenscheid | mantenedores do MAM Rio, apoio Consulado Geral da República da Alemanha no Rio de Janeiro; Goethe-Institut Rio de Janeiro; Pestana Rio Atlântica; Galeria Marília Razuk, São Paulo; Lurixs Arte Contemporânea; Carvalhão; Cerveja Praya ; Sociedade de Beneficência Humboldt, mantenedora do Colégio Cruzeiro

Trabalhos em grande escala do artista carioca José Bechara num conjunto formado por tridimensionais em alumínio, mármore, madeira e vidros planos além de pinturas. Parte das obras é inédita, e parte são peças realizadas em anos anteriores, mas que dada a condição de contaminação pelas demais obras e pelo espaço arquitetônico em que estão apresentadas, ganham novas ativações. É o caso de uma escultura em alumínio fundido chamada Miss Lu Silver Super Super, que teve sua volumetria ampliada e ganhou elementos intrusos resultando num novo trabalho pensado especialmente para essa exposição.


Lucio Salvatore
| METAELEMENTI
9 dez 2017 (15h – 18h) – 01 mai 2018 | curadoria Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes mantenedores do MAM Rio | apoio Istituto Italiano di Cultura, Cerveja Praya, realização Ministério da Cultura, Governo Federal
Exposição que reúne obras ‘ontológicas’ que partem dos elementos da natureza, identi- ficados pelos filósofos pré-socráticos como princípios do universo, para transcende-los segundo subtextos sócio econômicos e políticos sempre centrais nas obras do artista. A poética de Salvatore explora o ‘humanismo’ dos elementos dentro das dinâmicas da pro- dução industrial, tecnológica, da disputa de poder e da própria arte.

Últimas Novidades